05 de abril é dia nacional do doente com Artrite Reumatóide

05 de abril é dia nacional do doente com Artrite Reumatóide

Conheça o exemplo de quem, depois de sofrer com dor por muitos anos, hoje vive bem com a doença.

Conheça o exemplo de quem, depois de sofrer com dor por muitos anos, hoje vive bem com a doença.

Por volta dos 50 anos de idade, o sr. Geraldo Nunes Coelho começou a sentir muitas dores no corpo, especialmente, nas mãos e nos joelhos. Nos 10 anos que se seguiram, ele passou por vários médicos na tentativa de encontrar o tratamento adequado para a Artrite Reumatóide, doença com a qual foi diagnosticado e que atinge milhões de pessoas, sendo responsável atualmente por 20% dos gastos do Ministério da Saúde com medicações de alto custo no Brasil.
“Eu sentia muita dor nas juntas e foi difícil acertar o tratamento, mas eu persisti na busca e nos últimos dez anos tenho tido bons resultados e qualidade de vida”, conta sr. Geraldo que hoje está com 69 anos e é paciente do reumatologista, Carmo de Freitas.
O especialista com mais de quatro décadas de experiência afirma que a melhora dos sintomas do sr. Geraldo está associada não somente ao fato dele ser um bom exemplo de quem segue direitinho o tratamento medicamentoso, mas também à mudança de hábitos de vida a qual ele se propôs. “Tem muito paciente que quer melhorar, mas não aceita mudar de vida. Tem aquele que, quando melhora, interrompe o tratamento. Aquele que não faz atividade física, e mesmo com a prescrição médica diz que não gosta de fazer e não vai fazer. A atividade física ajuda a desacelerar a progressão da artrite, sem contar os inúmeros outros benefícios que proporciona para o corpo como um todo”, afirma Dr. Carmo. Sr. Geraldo concorda e diz que a hidroginástica que pratica há vários anos lhe faz muito bem. “Hoje eu vivo muito bem graças ao tratamento acertado e à qualidade de vida que a atividade física ajudou a me proporciona”, reforça.

Mais sobre Artrite Reumatóide
A Artrite Reumatóide (AR) é uma doença inflamatória crônica que pode afetar várias articulações. A causa é desconhecida e acomete as mulheres duas vezes mais do que os homens. Inicia-se geralmente entre 30 e 40 anos e sua incidência aumenta com a idade. Os sintomas mais comuns são os da artrite (dor, edema, calor e vermelhidão) em qualquer articulação do corpo, sobretudo, nas mãos e punhos. O comprometimento da coluna lombar e dorsal é raro, mas a coluna cervical é frequentemente envolvida. As articulações inflamadas provocam rigidez matinal, fadiga e com a progressão da doença há destruição da cartilagem articular e os pacientes podem desenvolver deformidades e incapacidade para realização de suas atividades tanto de vida diária como profissional.

Mais sobre Dr. Carmo de Freitas
Com quase 50 anos de carreira, Carmo Gonzaga de Freitas foi o primeiro reumatologista da região do Triângulo Mineiro (MG) e co-fundador de um dos maiores complexos hospitalares de Uberlândia. Atualmente, representa o Estado e o Brasil em investigações clínicas e laboratoriais, encontros e congressos internacionais, com destaque para sua participação anual na EULAR – Liga Europeia de Reumatologia.

Michele Borges
ADMINISTRATOR
PROFILE

Posts Carousel

Leave a Comment

Your email address will not be published. Required fields are marked with *

Cancel reply

Latest Posts

Top Authors

Most Commented

Featured Videos