Expectativa de vida do brasileiro sobe para 76 anos, segundo IBGE

Expectativa de vida do brasileiro sobe para 76 anos, segundo IBGE

Reumatologista fala sobre uma das consequências disso, que é o aumento de doenças crônicas.

Reumatologista fala sobre uma das consequências disso, que é o aumento de doenças crônicas.

Segundo as Tábuas Completas de Mortalidade, divulgadas pelo IBGE – Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, a expectativa de vida do brasileiro (que em 1940 era de 45,5 anos), continuou a subir no Brasil em 2017, atingindo 76 anos, contra 75,8 anos em 2016.
A esperança de vida das mulheres chegou a 79,6 anos e continuou maior que a dos homens, que ficou em 72,5 anos. Regionalmente, Santa Catarina apresenta a maior esperança de vida (79,4 anos), seguida por Espírito Santo (78,5 anos), Distrito Federal (78,4 anos) e São Paulo (78,4 anos). Além desses, Rio Grande do Sul (78,0 anos), Minas Gerais (77,5 anos), Paraná (77,4 anos) e Rio de Janeiro (76,5 anos) são os únicos que possuem indicadores superiores à média nacional. No outro extremo, com as menores expectativas de vida, estão Maranhão (70,9 anos) e Piauí (71,2 anos).
A tendência é que esse aumento continue de forma gradual, trazendo como consequência, entre outras coisas, o aumento de doenças crônicas. Sobre isso, o reumatologista, Carmo de Freitas, responde:

1) Em sua opinião, quais as consequências dessa realidade para o Brasil?
C.F.: Para mim, o mais importante é conscientizar e preparar a sociedade para o acolhimento desse indivíduo que está no auge da sua experiência de vida e, muitas vezes, é tido como incapaz. Precisamos nos preparar para dar suporte para esse indivíduo, com lazer, escolas, lugares onde ele possa seguir convivendo, tendo aspirações, etc. No exterior, é comum vermos idosos trabalhando, participando da vida em sociedade, namorando, indo a bares e restaurantes. Precisamos mudar nossa cultura para acolher esses indivíduos que vivem cada vez mais, muitos dos quais no auge de sua capacidade intelectual.

2) Como a pessoa em idade mais avançada deve se comportar?
C.F.: O idoso bem informado deve cuidar de sua saúde física e mental para ter qualidade de vida. O aumento de doenças crônicas devido ao aumento da idade requer cuidados: ir ao médico, buscar orientação, fazer atividades que auxiliem na qualidade de vida, e não ficar somente pensando em tomar remédio. As pessoas que vivem mais tempo, geneticamente, já possuem uma capacidade física maior. Se tiverem os cuidados necessários, terão doenças mais controladas e com potencial menor de incapacidade física. A medicina tem que ser, mais do que nunca, preventiva. E o melhor caminho é sempre uma vida ativa com atividade física e intelectual. É fazer uso de si mesmo e conviver!

Sobre o reumatologista
Carmo Gonzaga de Freitas foi o primeiro reumatologista da região do Triângulo Mineiro (MG) e co-fundador de um dos maiores complexos hospitalares de Uberlândia. Atualmente, representa o Estado e o Brasil em investigações clínicas e laboratoriais, encontros e congressos internacionais, com destaque para sua participação anual na EULAR – Liga Europeia de Reumatologia.
Consultório: Av. Vasconcelos Costa, 962 – Bairro Martins – Uberlândia (MG)
Telefones: (34) 3236-8344 / 9.9265-0001 (whatsapp)

Michele Borges
ADMINISTRATOR
PROFILE

Posts Carousel

Leave a Comment

Your email address will not be published. Required fields are marked with *

Cancel reply

Latest Posts

Top Authors

Most Commented

Featured Videos